segunda-feira, 30 de abril de 2007

Obras de qualidade duvidosa

A obra de pavimentação da rua João de Deus está parada há vários dias. Mais valia que não tivesse começado. Pelo menos, esta obra, tal como está delineada.
O sistema de água e esgotos que fica coberto com o novo tapete de asfalto tem umas boas dezenas de anos e deverá estar completamente deteriorado.
Grande parte da zona sul de Vila Real de Santo António, incluindo a avenida Duarte Pacheco, aguarda uma obra de renovação semelhante (para melhor) àquela que foi executada na zona norte da cidade. Em vez disso, faz-se cosmética, dá-se um ar de “requalificação” a algumas ruas e já se pode apresentar “obra feita”.
Acontece que o problema maior nem é esse. Aquilo que está a ser feito, e que qualquer pessoa pode constatar no local, é um pavimento mais alto que os próprios passeios, designadamente atrás do edifício Aliança.
É inédito e revela a forma como a segurança das pessoas é acautelada. Basta esperar por uma chuvada forte e teremos mais uma rua para juntar a todas as outras onde a água da chuva tem deixado marcas.
Dá pena ver gastar dinheiro público desta forma.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Hotel Guadiana, 1926, arq. Ernesto Korrodi, Vila Real de Santo António

domingo, 29 de abril de 2007

sábado, 28 de abril de 2007

Cores e sons de Cuba

O Teatro Nacional de Cuba apresentou hoje no Centro Cultural António Aleixo Sonlar, um espectáculo de dança e percussão colorido e repleto de ritmos latino-americanos.
Casa cheia, onde se via algum público espanhol, e uma grande ovação no final premiaram o excelente trabalho de músicos e dançarinos.

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Partido Comunista questiona localização da nova Casa Mortuária

O Partido Comunista Português criticou a localização da nova Casa Mortuária de Vila Real de Santo António em comunicado recentemente distribuído à população.
Situada no interior do perímetro do centro de saúde da cidade, o novo equipamento público ficará ao lado das piscinas municipais e defronte da escola básica D. José I.
O PCP questiona a autarquia por não terem sido ouvidos os representantes da escola e refere que o local escolhido inviabiliza qualquer expansão futura do centro de saúde.

O convidado não desejado


O Bloco de Esquerda recebeu um convite dos Presidentes da Câmara e Assembleia Municipais para intervir na sessão solene comemorativa do 25 de Abril, que decorreu no Centro Cultural António Aleixo, mas o discurso preparado para o efeito não chegou a ser lido.
No final da sessão, segundo o núcleo local do BE, confrontados com o convite assinado por ambos os presidentes, os autarcas referiram tratar-se de um lapso, mas os bloquistas preferem dizer que o “BE foi silenciado no 25 de Abril”.
O BE critica ainda a forma como decorreu a sessão solene referindo que a mesma “foi uma cerimónia triste, rápida e com pouco público, que contrasta com as práticas habituais no concelho de Vila Real de Santo António”.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Farol, equipamento militar, 1923, Vila Real de Santo António

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Viveiro de Monte Gordo vai encerrar

Um despacho do director-geral dos Recursos Florestais determina o encerramento a partir do dia 2 de Maio das instalações do Viveiro Florestal de Monte Gordo, unidade afecta à Direcção Regional de Agricultura do Algarve.
O viveiro produz plantas para reflorestação muitas das quais têm sido utilizadas nos programas experimentais de renovação das Matas Nacionais do concelho de Vila Real de Santo António.
A medida integra-se no PRACE - Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado - e atinge inúmeros funcionários, grande parte dos quais ligados ao Ministério da Agricultura. Muitos destes trabalhadores passarão ao Regime de Mobilidade Especial.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Edifício de habitação e comércio, rua Teófilo Braga, Vila Real de Santo António

terça-feira, 24 de abril de 2007

Recordar a Revolução de 25 de Abril de 1974

Partido Socialista contesta legalidade do financiamento de 150 mil euros a Cuba

A oposição socialista na Câmara Municipal de Vila Real de Santo António anunciou que vai pedir a fiscalização da deliberação do executivo, aprovada pelos vereadores do PSD e por João Rodrigues, de entrega de uma verba de 150 mil euros, repartida por três anos, ao município cubano de Playa.
Os vereadores socialistas contestam a legalidade do acto referindo que “as verbas serão transferidas directamente para o governo de Cuba, através do ministério do Investimento Externo”. Consideram ainda “pouco coerente” um município da união europeia transferir financiamentos para um governo não pertencente a este espaço político e económico.
Em declarações à agência Lusa o presidente do município retirou importância à contestação salientando as contrapartidas assinaláveis do protocolo assinado com as autoridades do país latino-americano - a vinda de médicos especialistas e o estágio da selecção cubana de atletismo no complexo desportivo municipal.

(Notícias completas no Região Sul e Barlavento)

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Edifício de comércio e habitação, rua Teófilo Braga, Vila Real de Santo António

segunda-feira, 23 de abril de 2007

Ruas de cara lavada

Teve início hoje a operação de asfaltamento de algumas ruas da zona sul de Vila Real de Santo António. A primeira a ser beneficiada foi precisamente a João de Deus a que se seguirão as artérias adjacentes cujo piso se encontra em mau estado.
Os moradores esperam que a renovação do saneamento básico (água e esgotos) não tenha ficado esquecida e seja feita numa segunda fase, mesmo que para isso tenha de se partir tudo de novo.
Recorde-se que a zona norte da cidade foi alvo de intervenção no início da década de noventa, tendo então sido renovado tudo o que se encontrava abaixo do solo e só posteriormente se procedeu à pavimentação.
As ruas agora pavimentadas ficarão com uma imagem mais adequada aos tempos que correm e acredita-se que a empreitada esteja concluída a tempo do dia da cidade, domingo, 13 de Maio.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Junta de Freguesia, equipamento público, Vila Real de Santo António

domingo, 22 de abril de 2007

A gaivota perdeu o segundo bico

Poderá ser um acto isolado. Terá a importância que lhe quisermos dar. Mas não deixa de ser mais um atentado ao património artístico e cultural da cidade.

sábado, 21 de abril de 2007

Haxixe no Guadiana


A Polícia Judiciária em colaboração com a Polícia Marítima apreendeu no sotavento algarvio mais de quatro toneladas de haxixe nos últimos dois dias.
No rio Guadiana e em Monte Gordo, na noite de quinta-feira, foram recolhidas 1,5 toneladas de haxixe e, durante a operação, sete traficantes foram detidos.
Em Olhão, no dia seguinte, foram detidos mais três indivíduos e apreendidas 2,5 toneladas do mesmo estupefaciente.


(Notícia completa no Diário de Notícias)

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Parque de Campismo, equipamento turístico, Monte Gordo

sexta-feira, 20 de abril de 2007

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Caso “Dunamar” já é estudado em Castanheira de Pera

Vale a pena ler o trabalho jornalístico de Fernando Bernardo, director do jornal O Ribeira de Pêra, sobre o processo de venda de património público a privados que culminou na construção do empreendimento Dunamar.
Recorrendo a documentação existente em diferentes serviços públicos, o jornalista procura reconstruir o fio condutor de todo este processo que apelida de “nebuloso”, identificando os respectivos intervenientes.
Surpreendente é a queixa formulada por Fernando Bernardo junto da Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos (CADA) contra a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, presidida por Luís Gomes, por não lhe serem facultadas certidões do “protocolo de transferência da Capitania do Porto de Vila Real para a Câmara Municipal de uma parcela de terreno desanexada das Dunas circundantes à Praia de Monte Gordo” e da “escritura de venda deste mesmo terreno à firma turística Duna Mar, Hotel - Apartamentos, Ltdª”.
De acordo com o parecer 259/2006 de 6 de Dezembro de 2006 da CADA, favorável ao queixoso, os documentos pedidos são de “acesso livre e irrestrito” pelo que o jornalista tem todo o direito de a eles aceder, através de certidões.
Esta é a primeira queixa de um cidadão, neste caso jornalista, contra o actual executivo vila-realense, por recusa de acesso a documentos administrativos.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Edifício de Habitação, Largo Manuel Cabanas, Vila Nova de Cacela

quarta-feira, 18 de abril de 2007

As rotundas da EN 125 são do Governo!

Na reunião da câmara municipal do passado dia 20 de Março, realizada em Vila Nova de Cacela, um munícipe (sr S.) questionou o presidente da autarquia sobre a construção da rotunda na estrada nacional 125.
Luís Gomes respondeu que “a Rotunda é da competência do Governo e do IEP (Instituto das Estradas de Portugal)”, refere a acta da reunião que regista ainda as restantes perguntas e comentários colocados pelo mesmo cidadão.
A frieza do texto da acta não revela se o munícipe ficou mais esclarecido, mas não deixa de ser interessante verificar que no programa de candidatura de Luís Gomes às Autárquicas de 2005 (Um Compromisso para a Mudança), a promessa número 10 diz textualmente:
10. Actuar ao nível dos transportes e das acessibilidades
As acções prioritárias neste domínio, e que deverão constituir a linha de rumo da nova equipa autárquica, são as seguintes: [...]
Construção da rotunda de Vila Nova de Cacela, permitindo o fluir normal do tráfego, sobretudo na época alta, entre a Vila e as zonas balneares das praias da Lota e da Manta Rota.”
Curiosamente, em 25 de Janeiro de 2005, numa reunião do executivo camarário que decorreu em Monte Gordo, era então António Murta presidente do município e Luís Gomes vereador da oposição, o mesmo cidadão (!?) colocou uma questão semelhante - “Para quando a repavimentação da EN 125 e a construção de Rotundas?”.
Dois anos depois, os actores mudaram, o discurso adquiriu novos contornos, as promessas começam a ficar esquecidas, mas os problemas permanecem: neste caso concreto, a dificuldade em atravessar a estrada nacional 125 junto a Vila Nova de Cacela.
Chama-se a esta persistência, cidadania participativa.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Escola Primária, Manta Rota, freguesia de Vila Nova de Cacela

terça-feira, 17 de abril de 2007

Mais calor

Com o regresso do calor a praia volta a ser uma opção agradável para ocupar o tempo livre.

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Mercado de Cacela suspenso para reorganização

O mercado de Cacela foi suspenso por edital da autarquia “pelo período necessário à sua reorganização” revela hoje o jornal Correio da Manhã.
A concretizar-se o anúncio, os primeiros beneficiados serão os residentes no local que não só se têm visto limitados no direito de acesso às suas casas como têm sido obrigados a aguentar com o lixo deixado pelos vendedores após desmontarem as respectivas bancas.
A acção policial de ontem poderá ter sido o toque de finados de um mercado que começou por ser de produtos tradicionais para rapidamente se transformar num centro de distribuição de mercadoria contrafeita.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Edifício de habitação e comércio, ruas Humberto Delgado e Cândido dos Reis, Vila Real de Santo António

Camas paralelas passadas a pente fino

Um pouco por todo o Algarve as “camas paralelas” foram alvo de fiscalização pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) que instaurou 147 processos de contra ordenação, no decurso da segunda fase da operação, nos dias 10, 11 e 12 de Abril.
Consideram-se “camas paralelas” os alojamentos que, constituindo segunda habitação ou residência permanente dos seus proprietários são locados a terceiros no seu todo ou em parte para estadias de carácter turístico sem que se encontrem licenciados para esse efeito.
Foram fiscalizados particulares e intermediários como agências de viagens ou imobiliárias e a maioria das infracções registadas decorreu da falta de Licença de Utilização Turística.

domingo, 15 de abril de 2007

GNR apreendeu 11 mil peças de vestuário falsificadas no mercado de Cacela

Quem se deslocou este domingo ao mercado de Cacela teve oportunidade de assistir em directo ao desenvolvimento de uma acção policial em grande escala.
No final do dia, os 130 militares da Guarda Nacional Republicana tinham conseguido apreender 11 mil peças de vestuário contrafeito no valor de 125 mil euros e dois mil DVD e CD piratas no valor de 10 mil euros.
Para os milhares de espanhóis que ao terceiro domingo de cada mês acorrem a esta exibição e venda de artigos “made in Portugal” foi um espectáculo inédito mas, ao mesmo tempo, indicador do nível de desenvolvimento económico e cultural do país vizinho.
O mercado de Cacela, nos moldes em que se realiza actualmente, tem vindo a ser alvo de contestação crescente por parte dos moradores da zona em que decorre os quais não compreendem como a câmara municipal de Vila Real de Santo António pode apadrinhar iniciativas deste cariz.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Central da EDP. equipamento industrial, Estrada Nacional 125, Monte Gordo

sexta-feira, 13 de abril de 2007

Um abraço para todos os leitores

Não sei se repararam mas o vilaquistão completa hoje - sexta-feira 13 - três meses de existência.
Aqui deixamos um abraço para todos (música de Sick Puppies).

Clubes e assembleias

É extremamente positivo ver os sócios de um clube participarem em peso na sua vida associativa e escolherem livremente os órgãos dirigentes.
As assembleias gerais têm um valor insubstituível na história de todas as associações culturais e desportivas. Em Vila Real de Santo António o Lusitano Futebol Clube realizou esta semana uma assembleia, amplamente participada, com duas listas a disputar a gestão do clube.
Se, por vezes, algumas destas assembleias, têm uma participação reduzida e revelam algum desinteresse dos associados, outras vezes, estes acorrem em grande número, demonstrando uma sensibilidade extraordinária sempre que suspeitam que os valores fundamentais e patrimoniais da colectividade podem estar em causa.
Hoje em dia alguns clubes locais recebem importâncias avultadas da autarquia e gerem contas bancárias com saldos de dezenas de milhares de euros. As responsabilidades são cada vez maiores e é da maior justiça que os subsídios recebidos, por se tratar de dinheiro público, sejam bem aplicados e justificados ao “centavo”.
São precisamente as assembleias gerais das colectividades que aprovam as contas das direcções mediante parecer dos respectivos conselhos fiscais. Daí a importância das assembleias. Por um lado outorgam aos órgãos do clube, através do acto eleitoral, a necessária legitimidade democrática; por outro lado, validam os resultados anuais da gestão efectuada.
No mínimo, caberia à câmara municipal, a verificação da vida associativa (democrática) de todas as associações desportivas e culturais a quem concede subsídios. Bastaria pedir certidões das respectivas actas das assembleias e tomadas de posse dos órgãos directivos.

quarta-feira, 11 de abril de 2007

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Estação da CP, equipamento de transportes, 1945, Vila Real de Santo António

terça-feira, 10 de abril de 2007

VRSA - gestão urbana simplificada - anteprojecto para o ano 2020

Ao centro a alameda de acesso a Monte Gordo

De acordo com as projecções dos últimos censos, em 2020 o concelho deverá ter entre 15 e 16 mil habitantes durante a maior parte do ano.
No mês de Agosto as “segundas habitações” são ocupadas e dá-se a enchente. De um dia para o outro 224.666 pessoas acotovelam-se nas ruas e nas praias do concelho. PSP e GNR voltam a partilhar as freguesias de Vila Real de Santo António e Monte Gordo até porque não se sabe onde começa uma e acaba a outra.
O centro histórico, o verdadeiro coração da cidade, está todo ocupado com a indústria de restauração. As lojas para espanhóis transformaram-se em bares, cafés, restaurantes, pizzarias, franguinhos no churrasco e comida para fora.
No Centro Cultural as empresas municipais dedicadas à gestão e reabilitação urbanas organizam seminários dedicados ao tema “Desenvolvimento urbano e qualidade de vida”.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Conserveira Ramirez, equipamento industrial, Vila Real de Santo António

domingo, 8 de abril de 2007

Ar puro nos serviços da Câmara

Já não se fuma nas novas instalações da câmara municipal. Um despacho do executivo proíbe o acto de fumar durante o período laboral.
Em anterior artigo tínhamos dado conta do “problema respiratório” que se vivia naquele espaço público, uma situação prejudicial tanto para os trabalhadores municipais como para os utentes.
Entretanto o Governo ultima a nova lei que prevê pesadas coimas sobre os infractores que não resistam à tentação.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Antiga cantina da Escola Primária, Vila Real de Santo António

sábado, 7 de abril de 2007

Modelo “natural” de empresas municipais para concelhos com menos de 18 mil habitantes

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Escola Primária das Hortas, Vila Real de Santo António

quinta-feira, 5 de abril de 2007

Automóveis antigos no jardim

Era impossível passar ao lado sem dedicar uns minutos a apreciar os automóveis antigos que na tarde de quinta-feira estiveram estacionados no jardim junto ao Guadiana.

Empresas municipais aprovadas com PS dividido

Pragmatismo e rapidez foram o mote da assembleia municipal de quarta-feira, transmitida em directo pela Rádio Guadiana. Em menos de vinte minutos estavam aprovados os seis pontos da ordem de trabalhos que antecediam o tema das empresas municipais.
Afinal o assunto não suscitou a menor discussão. Tal como nos pontos anteriores não houve inscrições para as habituais intervenções e respectivas réplicas.
Estava-se ali para votar e votou-se. Contaram-se os votos e, por maioria, foi aprovada a proposta da câmara de criação de duas empresas municipais: a VRSA, Sociedade de Gestão Urbana e a VRSA, Sociedade de Reabilitação Urbana.
Após a confirmação seguiram-se as declarações de voto. CDU e PS leram o que já vinha preparado e pronto para ser entregue à mesa da assembleia. Os dois deputados da bancada socialista que votaram ao lado do PSD, garantindo assim a passagem da proposta, procuraram explicar o sentido da sua fuga.
O primeiro, declarando a sua condição de delegado sindical, disse que era favorável às empresas municipais porque só estas poderiam impedir dezena e meia de trabalhadores contratados pela câmara de irem parar ao desemprego.
O segundo, referindo o seu estatuto de empresário com investimentos na zona histórica, garantiu só ali estar por saber que se iria votar a criação das empresas de gestão urbana, solução para aliviar os prejuízos de quem investe no centro da cidade “onde os terrenos valem 100 vezes menos”.
Com o assunto principal arrumado houve tempo ainda para o presidente da câmara convidar um elemento da oposição para pertencer ao conselho de administração das novas empresas como garantia de que o processo é totalmente transparente.
Resultado final: com a CDU reduzida à assembleia e o PS à deriva (e tem nova comissão concelhia) o PSD “soma e segue” em Vila Real de Santo António.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Posto da EDP, Vila Real de Santo António

quarta-feira, 4 de abril de 2007

As empresas municipais que se seguem

Hoje à noite a assembleia municipal de Vila Real de Santo António vai apreciar e tentar digerir a proposta do executivo de criação das duas primeiras empresas municipais: a VRSA, Sociedade de Gestão Urbana e a VRSA, Sociedade de Reabilitação Urbana.

As viagens de Luís Gomes a Vila Nova de Gaia têm-lhe servido para recolher algumas ideias e experiências junto de Luís Filipe Menezes, autarca daquele concelho do norte de Portugal. As empresas municipais de Gaia constituem um manancial informativo que permite diferentes abordagens.
Apresentamos a seguir dois quadros: o primeiro é actual, refere-se à distribuição dos cargos de gestores públicos nas empresas de Vila Nova de Gaia; o segundo pretende ser uma antevisão futurista do esvaziamento das funções da autarquia vila-realense, através da criação de inúmeras empresas cujos gestores serão nomeados pela câmara e pagos a peso de ouro.

Clicar sobre o quadro para aumentar

Clicar sobre o quadro para aumentar

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal

Campo Francisco Gomes Socorro, equipamento desportivo, Vila Real de Santo António

terça-feira, 3 de abril de 2007

Casal de lontras ocupou a piscina

Numa atitude perfeitamente natural, um grupo de ingleses e irlandeses integrados no Mundialito 2007, pediu para visitar as piscinas municipais publicitadas na revista do complexo desportivo, a fim de avaliar a qualidade das mesmas e a possibilidade de ali estagiarem algumas equipas de natação dos respectivos países.
Renitentes no início, os serviços do complexo desportivo lá acabaram por ceder, e ontem de manhã teve lugar a visita guiada às piscinas municipais de VRSA.
Desta forma, aquilo que vinha a ser mantido em segredo acabou por ser revelado publicamente: um casal de lontras ocupou a piscina de competição desde há longos meses e ali se dedica diariamente a jogos e exercícios próprios daquela espécie.
O problema maior surgiu quando os serviços da reserva natural foram chamados para retirar os animais e verificaram o avançado estado de prenhez da fêmea, o que impede a sua remoção por pôr em causa a sobrevivência da futura ninhada. Recorde-se que esta é uma espécie protegida por legislação portuguesa e da comunidade europeia.
Está assim explicado o atraso na abertura daquele espaço desportivo. À população do concelho resta apenas aguardar pelo parto e fazer votos de que tudo corra bem ao feliz casal.


IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Edifícios comerciais, avenida da República, Vila Real de Santo António

segunda-feira, 2 de abril de 2007

GNR substituiu a PSP em Monte Gordo

A Guarda Nacional Republicana iniciou o policiamento de Monte Gordo a 1 de Abril, de acordo com a resolução recente do conselho de ministros que visa eliminar as descontinuidades territoriais das forças de segurança.
Com a substituição da PSP pela GNR transfere-se também para esta força militarizada a segurança do Casino de Monte Gordo e a consequente receita proveniente do serviço permanente ali prestado.
Curiosamente, os primeiros a sentir os efeitos da mudança serão os próprios agentes da PSP, que deixarão de contar no seu vencimento mensal com o bónus proveniente do serviço gratificado (pago) efectuado no casino.
Notícias provenientes do norte do país, dão conta de uma polémica semelhante entre as duas forças de segurança, na disputa de uma freguesia onde está a ser construído o futuro casino de Chaves.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Edifício de habitação, rua Oliveira Martins, Vila Real de Santo António

domingo, 1 de abril de 2007

Férias em Cuba para todos os funcionários da autarquia


Férias em Cuba para todos os funcionários da autarquia poderá ser o resultado de um programa que tem vindo a ser negociado com algum sigilo pelo executivo municipal ao longo dos últimos meses.
O programa consta de uma parceria que prevê o alojamento em Monte Gordo e a realização de estágios no complexo desportivo municipal por parte de atletas e dirigentes desportivos de Cuba em contrapartida de facilidades a conceder pelas autoridades do país a todos os trabalhadores municipais que pretendam visitar aquela ilha do continente americano.
Caberá à parte portuguesa suportar os custos relativos ao alojamento, alimentação e estágios das delegações provenientes da ilha e à parte cubana a elaboração do programa das visitas aos locais mais interessantes do país bem como a cedência de guias oficiais.
As viagens dos funcionários autárquicos poderão ser suportadas pelo município desde que estes tenham obtido uma avaliação igual ou superior a bom no ano anterior e não tenham faltas injustificadas nos últimos quatro anos. Dada a existência de quotas anuais (doze por trimestre), em caso de empate, prevalecerá o cargo mais elevado.
Nos últimos meses dirigentes da autarquia têm-se deslocado com alguma frequência àquele país a fim de ultimarem todos os pormenores do acordo cuja assinatura final depende apenas da evolução do estado de saúde de Fidel Castro.

IAPXX - Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal
Escola Primária (Plano dos Centenários), Monte Gordo

Mundialito 2007 começou hoje


O Mundialito 2007, uma grande festa do futebol infantil, onde estão representados clubes e escolas de futebol dos cinco continentes, teve hoje início no complexo desportivo de Vila Real de Santo António e decorre até dia 7 de Abril.
O encontro mobiliza mais de 100 equipas de 17 países diferentes e mais de 1200 jovens dos mais variados clubes de futebol de todo o mundo.
A avaliar pelo entusiasmo dos participantes, técnicos e familiares, mais do que uma competição, o Mundialito é realmente uma grande festa de todos os que se dedicam à formação desportiva de crianças e jovens.
O elevado número de participantes envolvidos no encontro e as dificuldades inerentes a um certame deste tipo constituem um enorme desafio à capacidade organizativa dos serviços da divisão de desporto da autarquia.